Skip to main content
Tag

construção civil

Atala Engenharia promove empregabilidade contratando pintoras, capacitadas pelo programa Coral Mulheres na Cor

By ArtigoOne Comment

Coral Mulheres na Cor atinge altos níveis de empregabilidade e promove transformação social. Programa social capacitou moradoras de Paraisópolis para a construção civil. Nova turma do projeto está prevista para este ano.

São Paulo, março de 2023.

Joangela Souza Sobrinho, 37 anos, fazia bicos como diarista. Thainara Diana Diogo da Silva, 27 anos, era manicure. Com a pandemia, viram rapidamente as oportunidades de trabalho diminuírem drasticamente. Moradoras do Jardim Colombo, no Complexo Paraisópolis, na Zona Sul de São Paulo, elas encontraram no Coral Mulheres da Cor, projeto idealizado pela AkzoNobel que reúne diversas empresas com o objetivo comum de transformar histórias femininas por meio da profissionalização, a possibilidade de se reinventarem. E há pouco mais de dois meses já colhem os frutos dessa capacitação, trabalhando na construção civil como pintoras, em empresas ou como autônomas.

Joangela e Thainara fazem parte de um grupo de 14 mulheres que iniciaram o curso de capacitação em pintura em junho de 2022. Formadas no último mês de outubro, as participantes começam a se colocar no mercado de trabalho e a ajudar a mudar a cara de um segmento no qual ainda estão sub representadas. De acordo com pesquisa realizada em dezembro de 2021 pela Abrapp, Associação Brasileira de Pintores Profissionais, as mulheres representam apenas 10,5% dos membros da entidade.

Contratações – A Atala Engenharia, parceira de empregabilidade do projeto, contratou até o momento oito profissionais para atuar em seus projetos de restauração e reforma em condomínios residenciais e comerciais em São Paulo.

“A proposta inicial era contratar seis profissionais para integrar o nosso time de pintores. Todas as interessadas foram entrevistadas, visitaram as dependências da Atala Engenharia, puderam conhecer nossa estrutura e outros profissionais que já atuam na área de restauração de fachadas”, conta o engenheiro Carim Atala Elmor Sobrinho, diretor da Atala Engenharia. Ao final do processo de contratação, foram selecionadas oito profissionais, e mais duas serão contratadas no decorrer de fevereiro, totalizando dez pintoras profissionais em nosso quadro. “Duas das contratadas mostraram interesse em trabalhar em altura, para pintar fachadas de prédios. Isso foi muito gratificante para nós, tanto que decidimos investir em treinamentos para que elas possam se desenvolver também nessa carreira”, afirma.

O diretor ressalta que todas as participantes chegaram com muita garra e entusiasmo para aplicar seus novos conhecimentos. “Elas encontraram na pintura uma nova forma para prover o sustento de suas famílias, além de conseguirem enxergar uma oportunidade real de crescimento. A Atala Engenharia se sente honrada em fazer parte desta história”, complementa.

Vidas transformadas – Com três filhos entre 4 e 9 anos, Thainara Diana, hoje funcionária da Atala, ficou sabendo do projeto Coral Mulheres na Cor ao buscar uma cesta básica na ONG Fazendinhando, movimento de transformação territorial, cultural e social que busca desenvolver a comunidade do Jardim Colombo e seu entorno, uma população de aproximadamente 15 mil moradores, em uma área de quase 15 hectares que integra o Complexo de Paraisópolis. Thainara vive na região desde que nasceu e não hesitou em se aventurar em uma capacitação completamente nova. “Adorei o curso. Aprendi como preparar e tratar paredes, e já estou colocando em prática”, diz com satisfação. Ela também já tem em vista um curso sobre impermeabilização e quer aproveitar toda oportunidade que tiver para buscar mais conhecimento. Paralelamente ao novo emprego, ela também arruma tempo para aplicar todo o aprendizado na casa da mãe.

Thainara relata não somente sobre esse crescimento profissional como também pessoal em tão curto espaço de tempo. “Eu me sentia desanimada, cansada de mandar currículo e não obter resposta, de ir a algumas entrevistas e não ter retorno algum. Como manicure não era algo fixo e às vezes trabalhava doze horas para conseguir mais clientes. Agora tenho um horário de trabalho em que consigo aproveitar meus filhos que ainda são pequenos, cuidar da casa e ainda cuidar de mim. Melhorou bastante minha autoestima, estou muito orgulhosa de estar conseguindo trabalhar o dia todo, de segunda a sexta, e ainda ir para academia à noite, dar algo melhor para os meus filhos, isso tudo me deixa feliz”, conta a pintora.

A realização também se mostra no trabalho. “Pintando a parede e vendo como está ficando, penso ‘olha só, jamais eu imaginaria que hoje eu estaria aqui fazendo isso e ainda deixando tudo bonitinho, pintando com cuidado, sem sujeira. Dá uma satisfação tão grande! Nós, mulheres, somos cuidadosas, e as pessoas têm visto isso no nosso dia a dia como pintoras, apesar de muitas ainda se surpreenderem com nossa profissão e achar que somos ajudantes ao nos verem uniformizadas”.

Hoje companheira de trabalho de Thainara, a baiana Joangela Souza Sobrinho veio para a capital paulista aos 13 anos. Desde então, mora em Paraisópolis. Mãe de uma filha de 7 anos, o programa social Coral Mulheres na Cor deu a ela a oportunidade de aprender o ofício já desempenhado por seu marido e a sonhar novos e longos voos. “O curso foi tudo de bom. Agora quero buscar bastante experiência, conhecimento prático nesse trabalho. No futuro, meu sonho é poder trabalhar com meu marido, pintor de fachadas”, diz.

Joangela aponta que a capacitação foi importante tanto para aumentar sua renda familiar, quanto para a autoestima. “Agora posso ajudar minha família e comprar minhas coisas sem pedir para ninguém, porque não é questão de o marido não querer dar, mas um pouco do que tira dali, do orçamento, já falta em outro lugar. Consigo comprar coisas para minha filha que não conseguia antes, e também me presentear. Eu conquistei isso”, conta. “O reconhecimento em uma área dominada por homens também é recompensador. Outro dia uma criança me viu pintando e falou que também quer trabalhar com pintura”, completa.

Exatamente para estimular a representação feminina na área é que a AkzoNobel, por meio da sua marca Coral, buscou empresas que compartilham de seu propósito de ser agente de inclusão e transformação social, por meio da sustentabilidade. O SENAI-SP, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, é o parceiro de ensino do programa. Os parceiros financeiros são Bazar das Tintas, CASACOR, Dow, Oxiteno, Tintas MC e WACKER. Os parceiros de ferramentas são Condor e Vonder; e os de empregabilidade, Atala Engenharia e Abrapp. A ONG Fazendinhando é a parceira para relacionamento com as participantes.

Por dentro da iniciativa – Uma recente pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV-IBRE) mostra que desde 2012 a taxa de desemprego da população feminina é superior ao percentual dos homens: o índice era de 16,45% em 2021, o equivalente a mais de 7,5 milhões de mulheres. No total, o percentual médio anual de desemprego na economia foi de 13,20% em 2021. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o percentual de domicílios brasileiros comandados por mulheres saltou de 25%, em 1995, para 45% em 2018, devido, principalmente, ao crescimento da participação feminina no mercado de trabalho. Já o Sebrae calcula que cerca de 24 milhões de brasileiras empreenderam no país em 2021. Não ao acaso, o tema é um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ONU), ODS 5, igualdade de gênero, que trata sobre esse tema por meio do empoderamento feminino, uma vez que a capacitação de mulheres e meninas tem um efeito multiplicador e ajuda a gerar crescimento social e econômico em geral.

“Com jornadas exaustivas dentro e fora de casa, acumulando atividades domésticas, cuidando dos filhos e trabalhando em subempregos, muitas mulheres encontram obstáculos para entrarem e se manterem no mercado de trabalho. Foi dessa necessidade de inclusão e empoderamento feminino que surgiu esse programa com foco não somente em capacitação, mas também em criar oportunidades e aumentar a autoestima dessas mulheres em situação de vulnerabilidade”, comenta Daniel Geiger Campos, presidente da AkzoNobel para a América Latina.

Entre os critérios de seleção do Coral Mulheres na Cor estavam mulheres maiores de 18 anos, com escolaridade mínima do 4º ano do Ensino Fundamental, desempregadas ou com renda de até um salário-mínimo, chefes de família com dependentes em idade escolar. Durante dez semanas, essas mulheres receberam um curso completo com conhecimento 360º sobre pintura, totalizando mais de 200 horas. O início foi o Curso de Formação de Pintor de Obra, na unidade SENAI Orlando Laviero Ferraiuolo, no Tatuapé, em São Paulo. Elas também participaram do PRINT (Preparação para a Inserção no Trabalho), com conteúdo que apoia o profissional para sua inserção e retenção no mercado de trabalho. O projeto ainda agregou palestras, mentorias e especializações promovidas pelas empresas parceiras. Para completar a experiência, um curso de 30 horas, na unidade de Mauá da AkzoNobel, foi realizado pela Academia Coral, com conteúdo teórico e prático sobre diversos temas, como cores e tendências, equipamentos e produtos, aplicação de efeitos decorativos e novas tecnologias. No decorrer do curso, as participantes receberam bolsa-auxílio, transporte, alimentação, uniforme e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) custeados pelas companhias apoiadoras. Para complementar, todas receberam um kit de ferramentas manuais e elétricas, especialmente significativo para as que decidirem seguir jornada independente.

Além disso, essas mulheres também contaram, durante toda essa jornada de aprendizagem, com o apoio de dois pintores profissionais experientes, Ana Machado e Leandro Piovesan, verdadeiros conselheiros e embaixadores da turma, compartilhando toda a sua vivência de anos de atuação na área e incentivando as novas pintoras do mercado, no intuito que a capacitação tragam novas oportunidades para elas e que tenha efeito multiplicador e inspirador na comunidade em que elas vivem, expectativa também compartilhada pelas participantes dessa primeira edição.

“É maravilhoso estar nesse ramo. Espero que mais mulheres se encorajem para sair da zona de conforto e entrem nessa área, porque, sim, vale muito a pena trabalhar com pintura. Nós, mulheres, aguentamos carregar uma lata de tinta, equipamentos e fazer nosso trabalho lindo e perfeito e ainda deixar tudo impecável no final!”, diz a pintora Thainara.

Confira algumas fotos!
Créditos: Arnaldo Kikuti

Procurando uma pintora de qualidade e confiança para renovar seus ambientes?
Acesse aqui.

Sobre a AkzoNobel

Fornecemos tintas e revestimentos sustentáveis e inovadores nos quais nossos clientes, comunidades – incluindo o meio ambiente – demandam cada vez mais. É por isso que tudo o que fazemos começa com Pessoas. Planeta. Pintura. Nosso portfólio de marcas de classe mundial – como Coral, International, Sikkens e Interpon – tem a confiança de clientes em todo o mundo. Atuamos em mais de 150 países e buscamos nos tornar líderes globais da indústria. É o que você esperaria de uma empresa de tintas pioneira que está comprometida com metas baseadas na ciência e tomando medidas genuínas para enfrentar os desafios globalmente relevantes e proteger as futuras gerações. Para obter mais informações, visite o site. © 2022 Akzo Nobel N.V. Todos os direitos reservados.

Reforma X Restauração: entenda qual o melhor caminho para a sua obra!

By ArtigoNo Comments

É comum encontrar síndicos e gerentes prediais que não sabem se precisam reformar ou restaurar a fachada. Se esse também é o seu caso, este artigo é para você, falaremos sobre a diferença entre esses dois conceitos que, muitas vezes, são assimilados de forma equivocada.

Reforma e restauração de fachada são serviços que podem parecer idênticos, mas na verdade são técnicas e processos totalmente diferentes.

Entender qual deles condiz com a sua necessidade, é fundamental para alinhar as expectativas relacionadas ao custo, empresa que deve ser contratada, e o resultado final.

Então, antes de iniciar o processo de cotação, entenda com antecedência quais alterações serão feitas, para que você contrate a empresa correta, e saiba exatamente qual serviço deverá ser realizado, e obviamente quanto a obra custará, porque para cada uma dessas técnicas – reforma e restauração – há um valor específico, que varia consideravelmente de uma para outra.

Pois bem, e qual é a diferença entre Reforma e Restauração?

Reforma

A reforma é um método bastante utilizado na área da construção civil, ela tem como objetivo deixar o local, ou o empreendimento, com aspecto de novo.

Nesse tipo de obra, não é preciso ter compromisso com as características originais da edificação. Os construtores têm liberdade para modificar algumas características do empreendimento, como por exemplo, criar novos cômodos, mudar as cores das paredes, alterar a fachada, e assim por diante.

Ou seja, não é preciso manter o estilo original do imóvel. A ideia da reforma é fazer interferências que mudem a aparência antiga.
Vale destacar que as mudanças feitas no empreendimento, não podem afetar a segurança do imóvel.
Portanto, quando você pensa em fazer alguma mudança significativa na edificação, retirar uma parede, mudar uma janela, alterar a fachada, essas ações devem ser feitas com o apoio de profissionais capacitados, para garantir a qualidade do serviço e segurança de todos.
Mesmo que a reforma pareça simples, sempre conte com a ajuda de profissionais.

Restauração

Já o conceito de restauração é bem diferente da reforma.

No restauro é preciso respeitar a originalidade da edificação. Ou seja, serão feitos consertos e reparos para retornar o empreendimento à sua forma original.

A restauração nada mais é do que um processo de revitalização. Você só vai consertar e reparar aquilo que o tempo desgastou, respeitando as características originais do local ou do empreendimento como um todo.

Geralmente, o restauro é realizado em prédios históricos, com a intenção de manter a identidade, as características e a autenticidade de uma época.

A empresa responsável por uma obra de restauração, realiza apenas alterações para garantir o bom funcionamento do imóvel, mantendo ao máximo a aparência original do empreendimento.

E vale a mesma orientação, contrate sempre empresas especializadas.

Restaurar ou reformar: qual serviço escolher?

Agora que você conhece a diferença entre reformar e restaurar, já pode decidir qual deles escolher, e qual profissional procurar para realizar a obra no seu empreendimento.

Se você gerencia um prédio que não é tombado, a opção mais comum é optar pela reforma e fazer algumas pequenas alterações.
Mas, se o imóvel tem um estilo de época muito particular e você não quer perder essa característica – ou não pode modificar, caso o prédio seja tombado – a melhor opção é a restauração.

E independentemente da técnica escolhida, tome cuidado ao contratar, opte por empresas de confiança, que apresentem garantia nos serviços prestados e tenham boa reputação no mercado.

Boas Manutenções Prediais para ti.

——

Sobre o autor Felipe Lima

Mestre engenheiro, palestrante, escritor, visionário, detalhista e apaixonado por manutenção predial. Na sua trajetória profissional já atuou nos estados de SP, BA, DF, PA, RJ, em empreendimentos comerciais, residenciais, shoppings e galpões logísticos.

——

Com 27 anos de experiência no ramo de construção civil, mais de 1.900 obras realizadas em diversos segmentos e profissionais altamente especializados, a Atala Engenharia acumulou muitas técnicas e experiências para dar toda tranquilidade ao cliente. Por isso, incentivamos que você escolha a empresa ideal, aumentando sua satisfação, segurança, qualidade da entrega e a durabilidade da obra.

Seu patrimônio merece ser valorizado ∴
, fale agora mesmo pelo WhatsApp com o nosso time de representantes.

Foto: freepik.com

Clique aqui para baixar o arquivo pdf da matéria.

×